Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um português na Crimeia.

por FJV, em 18.05.18

Já ninguém se lembrava de que, há quatro anos, a Rússia tinha anexado a Crimeia – a Europa desinteressou-se do assunto –, quando Vladimir Putin, há dois dias, inagurou a ponte que vai de Taman, no sul da Rússia, até Kertch, na Crimeia que já foi ucraniana. Com os problemas de Alcochete nós também nos desinteressámos do assunto; mas não devíamos, porque temos especiais responsabilidades no tema: em 1788, durante a guerra entre a Rússia e o império Otomano, o primeiro oficial do exército russo comandado pelo marechal Potemkin a entrar na praça militar de Ochákiv, de onde se dominava o Mar Negro, chamava-se Gomes Freire de Andrade. Feito coronel mais tarde, Gomes Freire, também recebeu a ordem russa de S. Jorge numa ocasião em que se suspeita que Catarina II o pôde preferir a Potemkin; o seu destino foi de altos e baixos, curvas e contracurvas, general de vários exércitos e países, maçon ao lado dos franceses contra a regência inglesa e o absolutismo – acusado de traição e enforcado em Portugal em 1817. Com o seu sentido de oportunidade, estaria ao lado de Putin na anexação.

[Da coluna no CM]

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.