Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os professores vagamente vingados.

por FJV, em 27.07.22

O Global Teacher Status (Varkey Foundation) analisa a forma como os professores são respeitados em relação a outras profissões, qual o seu estatuto, as suas retribuições, a confiança que neles é depositada pelos pais, alunos e resto da comunidade. Os dados de 2018 incluem 35 países, cabendo o topo à China e, logo a seguir, à Malásia e a Taiwan (nesses três países, os professores são recrutados entre os 10% melhores de cada curso); Portugal está na 23.ª posição. Não admira que a Comissão Europeia tenha admoestado o nosso país sobre os salários de professores contratados a prazo (manchete do CM de ontem) – parentes pobres e recorrentes do sistema, cuja situação profissional pode prolongar-se absurda e indefinidamente. Não basta, no entanto, resolver esse problema. Os partidos, os burocratas e os políticos transformaram os professores em “classe detestada”, desprotegidos em casos de violência e condenados à burocracia. Resta-lhes pouco tempo para serem professores; são psicólogos, animadores, pais de substituição, gestores. A forma como são tratados dá uma imagem de como o país é tratado.

Da coluna diária do CM.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Ligações diretas

Os livros
No Twitter
Quetzal Editores
Crónicas impressas
Blog O Mar em Casablanca


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.