Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Máscara.

por FJV, em 08.04.20

Toda a gente já percebeu que só ainda não se recomenda (ou torna obrigatório) o uso de máscaras porque elas faltam no mercado. Infelizmente, já faltavam em janeiro, quando as autoridades garantiam que o vírus não chegaria cá, ou mesmo em março quando “era uma simples gripe” – e não foram encomendadas porque o uso de máscara “não é um remédio contra o vírus” (este argumento é anedótico). Águas passadas. Porém, no Oriente o uso de máscara está enraizado e é parte da etiqueta social de quem sofre de uma simples constipação, gripe, alergia ao pólen ou problema respiratório; é assim no Japão, na China ou na Coreia – por civilizado respeito para com os outros, minimizando o perigo de os contagiarmos. Sim, também é usada para prevenir os riscos da poluição (Pequim já não está na lista das 10 cidades mais poluídas) ou para proteção durante o frio –  e no Japão, país “singular”, é mesmo um acessório de moda. Para nós, habituados ao sol, à proximidade e aos abraços, é estranho. Mas, quando “isto” passar, talvez fique esse hábito de, durante a nossa constipação, respeitar a saúde dos outros.

Da coluna diária do CM.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.