Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Haydn.

por FJV, em 31.03.22

Franz Joseph Haydn (1732-1809) nasceu há 290 anos, cumpridos exatamente hoje, quando chove e não chove, quando há um sol tímido a cobrir as mesmas florestas de carvalhos, pinheiros, abetos, faias, urzes, escarpas montanhosas e florestas à beira dos campos da chamada Baixa Áustria. Há uma certa doçura na sua música – sinfonias que nos fazem estar de acordo com a passagem do tempo, discretas e sem grande enigmas, quartetos de cordas que serviram de padrão para a música posterior. Contemporâneo de Mozart, professor de Beethoven, ponte entre o período “clássico” e o romantismo (ou entre o século XVIII e o século XIX), Haydn é esse padrão da música europeia. O terceiro e último andamento do Concerto n.º2 para violoncelo é uma das peças mais populares da sua obra; convido-vos a escutar o concerto na totalidade, mas terminem, por favor, a ouvir todo o Concerto n.º1, menos festivo, com menos flores, menos feliz – mas mais belo. Diz-se que, antes de tomar Viena pela força, em 1809, Napoleão mandou estacionar uma divisão à porta da casa de Haydn para o proteger das bombas; Deus teve isso em conta.

Da coluna diária do CM.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Ligações diretas

Os livros
No Twitter
Quetzal Editores
Crónicas impressas
Blog O Mar em Casablanca


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.