Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A cultura, as coisas do quotidiano.

por FJV, em 06.04.18

Mais companhias e mais projetos foram apoiados depois do reforço avulso de verbas anunciado ontem. E mais serão, entretanto. O que significa que o susto político há de passar – até ao próximo. No entanto, o problema continuará sem ser atacado enquanto não existir, da parte da escola sobretudo, uma preocupação central em fomentar a educação artística e a educação para a cultura. É certo que alguma coisa já ela faz, graças a alguns professores (visitas ao teatro e aos museus, por exemplo) e apesar da indiferença da chamada “política educativa”, que não vê necessidade de introduzir a música clássica ou a história da arte e dos movimentos culturais nos seus currículos. Isso permitiria aproximar os nossos adolescentes da fruição da arte, ou da música, ou do cinema (o nascente Plano Nacional do Cinema foi desmantelado), e ajudá-los a prevenir as “fraudes culturais” na idade adulta. E, ao mesmo tempo, mostrar-lhes que “a cultura” não se faz com as pessoas “da cultura”, mas com “um certo olhar”, construído ao longo dos séculos, sobre as coisas do quotidiano. Isso leva anos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.