Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O fado dos contentores.

por FJV, em 04.03.09

Quando ouvirem algum militante do PS dizer que «respeito muito o meu camarada Manuel Alegre e considero-o muito como poeta», pode ser que esteja a referir-se ao «Fado dos Contentores», hoje publicado no seu site: «Lisboa não tem paisagem/ Já não há navegadores/ Nem sol nem sul nem viagem/ Só contentores contentores.// Entre o passado e o futuro/ Em Lisboa de mil cores/ O sonho bate num muro/ De contentores contentores./ Por isso vamos cantar/ O fado das nossas dores/ E com ele derrubar/ O muro dos contentores»

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Afonso A Lima a 05.03.2009 às 00:15

Pois... pode ser... Que fique Alegre, o Manuel, derrubando contentores, com dores de mil cores... de flores...
Sem imagem de perfil

De joana a 05.03.2009 às 00:31

Este repto foi lançado pelo Carlos do Carmo há uns meses atrás.

http://sound--vision.blogspot.com/2008/11/em-conversa-carlos-do-carmo-55.html
Sem imagem de perfil

De O que eu acho... a 05.03.2009 às 11:13

... é que o Manel deve apontar os olhinhos em volta, ou até sair de diante dos contentores, vai ver que há muita Lisboa para ver, muitas meninas bonitas com saias curtas para entreter a vista e inspirar melhor poesia.
Sem imagem de perfil

De nobigdeal a 05.03.2009 às 17:01

"em verdade vos digo" :) quanto ao poema em si....

sem querer ferir quaisquer susceptibilidades: a última parte, não sei porquê, soou-me ao hino da mocidade portuguesa
Sem imagem de perfil

De nuno ferreira a 05.03.2009 às 20:20

Ah fadista! Ganda Manel! Bebe mais um copo c' a gente, eles têm é inveja, ainda vais tu e os contantores e o car...para o Panteão Naceonal!!! Domingo quero-te na Bica, tás a uvire? Vá, nã fiques triste oh home, nã vais nada pra Aguedá, ficas cá c'a gente!!! Oh Marcelino, é mais um copinho de tintol aqui pro Manel, ganda fadista...nã te importas q te bata nas costas pois nã?
Sem imagem de perfil

De aviador a 05.03.2009 às 23:47

Caro Francisco

Pode mesmo dizer que aquilo é uma merda .

Deixe a ironia para a sra.D.MFLeite .

De qualquer modo quando alguns militantes dizem isso do poeta é sempre para o desvalorizarem como politico.

Não é por mais nada!

Sem imagem de perfil

De Joaquim Silva a 06.03.2009 às 09:46

A pessoal em causa é respeitável, mas o "poema" está ao nível de uma quarta-classe. A sério que o homem largou esta pérola?
Sem imagem de perfil

De Luis Melo a 06.03.2009 às 11:14

Será que, se MA fosse candidato a 1º ministro, o seu programa de governo seria em versos?
Sem imagem de perfil

De Tetra-poeta-avô a 06.03.2009 às 12:01

Cavalheiros, o senhor Alegre é de outra geração, em que a poesia era um exercício de rimas e métricas, e se o que lá coubesse dentro fizesse algum sentido ou evocasse a fantasia, tanto melhor.
É um homem que nos observa de telescópio, as suas preocupações estão-nos muito distantes.
Imagem de perfil

De ramo-grande a 07.03.2009 às 00:05

Já ninguém parte do Tejo
Para dobrar bojadores
Agora olho e só vejo
Contentores contentores.

E do Martinho Pessoa
Já não veria o vapor
Veria a sua Lisboa
Fechada num contentor.

Por mais que busques defronte
Nem ilhas praias ou flores
Não há mar nem horizonte
Só contentores contentores.

Lisboa não tem paisagem
Já não há navegadores
Nem sol nem sul nem viagem
Só contentores contentores.

Entre o passado e o futuro
Em Lisboa de mil cores
O sonho bate num muro
De contentores contentores.

Por isso vamos cantar
O fado das nossas dores
E com ele derrubar
O muro dos contentores.
[Manuel Alegre, 04.03.2009
Música e ritmo do "tem grelinhos"

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.