Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Londres.

por FJV, em 04.02.09

Há dezoito anos que não nevava com tanta violência em Londres e a cidade parou por horas - metro, autocarros, taxis e, naturalmente, aviões com voos cancelados. Os mais irónicos e sarcásticos veriam nisto a confirmacão de que o aquecimento global pode ser uma treta, embora o modelo de alteracão climática suponha acontecimentos destes. Seja como for, todos os meus voos foram cancelados - o que deu tempo para ver uma cidade como ela só é nos filmes: casais passeando na neve crepuscular do Hyde Park (e mesmo à noite, como num cenário de Delvaux), miúdos construindo bonecos de neve em Kensington ou atirando bolas em plena Gloucester Road. Subitamente, o frio siberiano devolveu-nos um pouco da vida. Fechado num aeroporto, recordo o dia em que Londres voltou a ser um bairro do século passado.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Miguel Pires a 04.02.2009 às 00:31

Os mais optimistas gostariam de ver nisso o congelamento da crise.

P.S. esta mudança de template/layout não foi lá feliz...
Sem imagem de perfil

De Manuel da Silva Carvalho a 05.02.2009 às 00:48

O Sr. Dr.,

apesar de “todos os seus voos cancelados”, talvez o possamos considerá-lo um felizardo, ao ter a rara possibilidade de assistir ao pior nevão das últimas décadas na Inglaterra, o que obrigou ao encerramento dos aeroportos de London Cyti (no centro da cidade), Luton e de Heathroiw. O de Gatwick, permanece aberto, mas com enormes atrasos e muitos cancelamentos. Assim pôde observar por perto, o romântico passear de casais na neve crepuscular de Hyde Park, parecendo um bairro de Londres do século passado, o que , eventualmente, lhe poderá dar um excelente mote para o arranque de novo romance que já tarda...Portanto, só benefícios, no meio de tanta crise.

Comentar post



Ligações diretas

Os livros
No Twitter
Quetzal Editores
Crónicas impressas
Blog O Mar em Casablanca


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.