Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O cantinho do hooligan. Olhar em perspectiva.

por FJV, em 20.06.08

1. O aborrecido em futebol é que alguém tem que perder e às vezes quem  perde são os nossos. Antes assim, do que aumentar a bolha do «somos os maiores»; porque não éramos, dadas as circunstâncias de termos um treinador que insiste em burrices consagradas ao som de Roberto Leal. Com outro treinador, estes jogadores iriam mais longe. Maiores foram os alemães, mais rápidos, mais sólidos, mais concentrados e com uma bússola que lhes mostrava a direcção da baliza. Mesmo assim, a rapaziada não jogou mal mas a verdade é que depois de rever as partidas contra o Azerbaijão, a Polónia ou a Finlândia, compreende-se: Scolari gosta de futebol de flippers: cada jogador transformado num botãozinho, Ronaldo preso ao lugar menos indicado e todos a jogar para a equipa (eu nunca percebi isso), com a excepção de Deco, que esteve genial (apenas ele, valha a verdade). Alguns comentadores falam da Alemanha fria e calculista; eu vi ali futebol, passes, entradas pelas laterais & geometria descritiva. Que os jogadores portugueses são mais talentosos; então encontrassem jogo mais talentoso, porque Ballack, Schweinsteiger e Podolski não são nada de deitar fora, pois não?

2. Espero que a pátria entre em certo sossego.

3. Quanto ao resto, espero que Stamford Bridge conheça em breve Roberto Leal, a N. S. do Caravaggio, e o guarda-redes Ricardo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


52 comentários

Sem imagem de perfil

De Boa apreciação dos factos... a 21.06.2008 às 10:48

"20.11.1988 – Em Aveiro, Carlos Pinhão de A BOLA foi agredido no final de Beira Mar-Fcporto. O MP não acompanhou a queixa por falta de provas. No mesmo dia, Martins Morim, do mesmo jornal quando abandonava o estádio foi empurrado por um grupo de indivíduos entre os quais identificou Tonio Maluco. O guarda Abel disse aos jornalistas que “era melhor do que cair por uma ribanceira”
5.3.1989 – Eugênio Queirós do Correio da Manhã, foi violentamente empurrado para fora do corredor de acesso à cabine do Fcporto no Estádio do Restelo. Apresentou queixa na PJ que acabou arquivada por não conseguir identificar os agressores
24.9.1989 – João Freitas de A BOLA foi agredido perto dos balneários das Antas. Foi assistido no Hospital de Santo António e identificou Virgílio Jesus e um tal Armando entre os agressores. A queixa foi arquivada porque a testemunha principal o agente da PSP Oliveira Pinto, disse que não se lembrava nada
4.10.1990 - Manuela Freitas do jornal Publico na véspera do jogo Portadown-Fcporto, foi ameaçada e insultada no hall do hotel por integrantes da comitiva portista
24.10.1990 – José Saraiva, chefe da redacção do jornal de Noticias, foi agredido de madrugada à porta de casa. Não identificou os ofensores. O JN publicara uma noticia envolvendo Pinto da Costa num caso de investigação pela PJ de Aveiro
1.9.1992 – Pinto da Costa, o filho e Joaquim Pinheiro intimidam o jornalista António Paulino e forçam a entrada do Expresso, no Porto, procurando descobrir quem fora o autor de uma noticia envolvendo Alexandre Pinto da Costa
Sem imagem de perfil

De Boa apreciação dos factos... a 21.06.2008 às 10:50

11.12.1994 - Marinho Neves da Gazeta dos Desportos, foi agredido por dois seguranças afectos ao FCPORTO após ter publicado uma reportagem sobre os meandros da arbitragem. Fez queixa à PJ acompanhada da foto dos agressores, e apresentou quatro testemunhas que nunca foram ouvidas
10.3.1993 – Paulo Martins da RTP, no final de um jogo nas Antas, com o Famalicão, foi agredido em directo. Não houve queixa judicial" (Expresso)
O mais espantoso é que muitos deles nunca apresentaram queixa, outros nunca souberam o resultado das suas queixas, e mesmo quando as agressões são públicas, não se passa nada. Nunca se passa nada e nunca ninguém quer ver. E quando se fala do que está à vista de toda a gente, é uma conspiração "lisboeta", "benfiquista", contra o Porto, o Norte e o FCP e os tambores do ressentimento regionalista rufam contra os "mouros". Têm pouca sorte comigo, porque menos "mouro" que eu é difícil.
Sem imagem de perfil

De Boa apreciação dos factos... a 21.06.2008 às 10:52

(...) E é exactamente por isso que a doença que grassa já há uns anos na minha terra me preocupa e não me cala. Não foi "Lisboa" que a inventou, foram portuenses que a fizeram e que a mantêm com todos os maus argumentos e com a única lógica que conhecem, a do poder e a do dinheiro, com a mesma dimensão do Bada Bing. Tenho a veleidade de considerar que, falando desta doença e destes "meios", sirvo melhor a minha terra, o Porto.

(No Público de 16 de Dezembro de 2007)
Sem imagem de perfil

De João Dias a 21.06.2008 às 15:52

Que raio tem isto a ver com a selecção? Com soco(lari)? Arremessa, arremessam e até têm a justiça (minúscula) com eles, Tanto ódio, tanta raiva. Sinceramente não percebo
Sem imagem de perfil

De Tem tudo a ver... a 22.06.2008 às 09:15

Tem tudo a ver...
Sem imagem de perfil

De afonso nina a 24.06.2008 às 23:48

Imensa satisfação ao ver os comentários sobre o truculento ternurinha Big Phill.Desde 2002 não topo esse papo de família scolari,que condena a todos a uma visao infantl e tatibitate do futebol.Bem feito para os ingleses que terão que aturar a ignorância dos pampas.

Comentar post


Pág. 4/4



Ligações diretas

Os livros
No Twitter
Quetzal Editores
Crónicas impressas
Blog O Mar em Casablanca


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.