Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Praça das Flores, Lisboa.

por FJV, em 08.06.08

 

Há um debate sobre a responsabilidade directa de José Sá Fernandes ou de Marcos Perestrelo na cedência da Praça das Flores à Skoda. Ora, a responsabilidade é da CML. E é das autarquias, em geral, que julgam deter o título de propriedade das cidades que administram. Este problema gerado pela Praça das Flores adquiriu mais notoriedade porque vive lá mais gente que pode protestar e que tem opinião publicável, o que não impede de ser classificado como escandaloso. Os moradores das cidades são maltratados, e é estranho que os malfeitores sejam, em geral, as autarquias. Mas são.

Retirar 15 dias de vida de jardim à Praça das Flores em nome de um contrato que até pode ser lucrativo para a CML não me parece um bom princípio. Os moradores do Bairro Alto maltratados pelo lixo, seringas no chão e toda a merda deixada pelos frequentadores barulhentos que não deixam dormir ninguém, também me parece um escândalo. Os das Janelas Verdes são continuamente massacrados pela fauna adolescente que vomita nos passeios, à porta de suas casas, com protecção da polícia e da Direcção Geral de Saúde, que não toma posição sobre a venda livre de shots a crianças de 12 anos. E os moradores de zonas permanentemente em obras, com jardins espatifados, valas abertas, árvores destruídas, muros derrubados, máquinas a arrasarem tudo (por dois, três ou quatro anos), também me parece que mereçam a nossa atenção. Quando se organiza um «evento», mesmo que seja «a merda de um evento» com o apoio das autarquias, os direitos dos munícipes são sempre esquecidos. Há sempre uma corrida de amadores que espalham centenas de garrafas de água mineral pelo chão. O trânsito alterado por causa de uma agremiação que vai fazer gincanas na rua, é abusivo. Os moradores de Chelas sofrem o Rock in Rio durante um mês. Os foguetórios privados que arruinam a paciência e o sono dos moradores também me incomodam. E os festivais de rua em que os decibeis sobem dentro de casa (mas os organizadores e frequentadores moram noutro lado). O espaço público é uma treta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


13 comentários

Sem imagem de perfil

De hmbf a 09.06.2008 às 00:33

Grande remate: O espaço público é uma treta.
Sem imagem de perfil

De QWERTY a 09.06.2008 às 10:20

Incrível isto - mas não é inédito: se bem me lembro no ano passado ninguém podia passar na Av. da Liberdade por causa de umas festas da SIC, que incomodaram toda a gente e envergonham qualquer munícipe. A usurpação do espaço público gerido pela autarquia para festarolas privadas já vem de longe (Quem sabe não vem das mesmas cabeças? Algo me diz que sim).
Sem imagem de perfil

De Softone a 09.06.2008 às 11:00

Faz parte de uma treta maior que é a educação cívica que temos. Infelizmente, não é uma culpa que possamos atirar por cima do ombro. Por muito que me irrite o trânsito, a temeridade insana dos peões, os desordeiros nas filas, os piratas fogueteando a noite da vila, não posso atirar a primeira pedra, nem sei se vou a tempo de educar a minha descendência para merecer a primeira fila do apedrejamento.
Sem imagem de perfil

De Irene Osório a 09.06.2008 às 11:28

Muito obrigada por dizer a verdade em nome dia "sem voz". A verdade é que as autarquias se constituem "donos do espaço publico" para o utilizar como lhes apetece... não para o cuidar.
Sem imagem de perfil

De Ana Cristina Leonardo a 09.06.2008 às 11:31

E se alugassem o país todo durante 15 dias? Isso sim, seria uma GRANDE IDEIA. Daria, quase de certeza, para nos renovar a todos, e não só a Praça das Flores.
Sem imagem de perfil

De nuno cunha a 09.06.2008 às 13:31

Da pç das flores ao bairro alto foi um pulinho.
Aqui respira-se um ar muito limpo, onde certa fauna seria talvez recolhida com o restante lixo.
Sem imagem de perfil

De Luiis a 09.06.2008 às 17:19

O melhor é proibir as pessoas de sair de casa, os cães de ladrarem, as crianças de chorarem, as empresas/associações/clubes de organizarem o que quer que prejudique o cidadão...desde que fumar na cara de quem me apetecer se mantenha legal e festejar na av. dos aliados uma tradição.

Onde começa e acaba a liberdade de cada um e o direito ao espaço público e as concessões que esse merece (em nome de actividades económicas ou de interesse público), talvez não fossem maus pontos por onde começar, em vez desta misturada de tópicos.
Imagem de perfil

De Bic Laranja a 09.06.2008 às 18:53

Desde a rotunda (agora) da Samsung nas chegadas do aeroporto de Lisboa à praça da flores vai um longo caminho de imundície publicitária espalhada pela cidade. Toda ela gerou valor acrescentado. Toda ela faz aumentar o P.I.B. no fim do ano.
E em cada ano que passa estamos todos mais ricos, não é verdade?!...
Cumpts.
Sem imagem de perfil

De António Gomes a 09.06.2008 às 22:56

Sabiam que "skoda" em checo quer dizer: "dano, desvantagem ou perda". E que a expressão "to je skoda" quer dizer "é uma pena!" ?
Só parte da Câmara é responsável. Nada disto foi discutido em reunão. Mas o vereador Sá Fernandes tem uma série de propostas semelhantes para apresentar a reunião. Do mal, o menos, desta vez vão ser submetidas à consideração de mais cabeças. Pode ser que sejam chumbadas.

Sem imagem de perfil

De Come again? a 09.06.2008 às 22:59

For fuck's sake, he wants to repeat the thing?
Sem imagem de perfil

De AntónioG a 09.06.2008 às 23:48

we are skoded by some very skoded up minds...
Sem imagem de perfil

De António Gomes a 10.06.2008 às 02:10

Eu... como... reticências... e gosto... é... como... levar... uma... boa... skoda... up... my... ...
Sem imagem de perfil

De antonio gomes a 11.06.2008 às 22:29

Come again, I´m not talking through my hat. The wolf in sheep’s clothing just came out today.
PS: there´s someone walking in my shoes around this blog.

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.