Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Moçambique, 4. (Ilha de Moçambique.)

por FJV, em 27.03.08


 


«Ilha, velha ilha, metal remanchado,/ minha paixão adolescente,/ que doloridas lembranças do tempo/ em que, do alto do minarete,/ Alah - o grande sacana! – sorria/ aos tímidos versos bem comportados/ que eu te fazia.// [...] // Mas retomo devagarinho as tuas ruas vagarosas,/ caminhos sempre abertos para o mar,/ brancos e amarelos filigranados/ de tempo e sal, uma lentura/ brâmane (ou muçulmana) durando no ar,/ no sangue, ou no modo oblíquo como o sol/ tomba sobre as coisas ferindo-as de mansinho/ com a luz da eternidade.»
Rui Knopfli, A Ilha de Próspero

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.03.2008 às 20:24

A Ilha «dói muito». Petromax-x.blogspot.com
Sem imagem de perfil

De Baudolino a 27.03.2008 às 21:15

Obrigado. Viaja-se nessas fotos mas, sobretudo, na evocação de Rui Knopfli.
Abraço
P.
Sem imagem de perfil

De gorgulho a 28.03.2008 às 10:30

Eu censurava já o sexto verso antes que comecem a arder embaixadas.
Sem imagem de perfil

De JN a 28.03.2008 às 11:09

obrigado pelas fotos
Sem imagem de perfil

De Helena a 28.03.2008 às 13:34

Parabéns por nos ofertar com imagens lindas.

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.