Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Declaração de princípios, atrasada como sempre.

por FJV, em 18.03.08
O governador de NY demitiu-se do cargo por ter «requisitado» (é este o termo, parece, como se fosse uma questão de almoxarifado ou economato) «os serviços de uma prostituta» (estes eufemismos são simpáticos). Não é novidade. Bill Clinton foi perseguido por causa da sala oval, e uma notável série de senadores e políticos americanos ficou já presa pelas virilhas em episódios mais redundantes do que o facto de haver homens e mulheres no mundo. A vida sexual dos políticos é uma questão pessoal e privada e os políticos têm o direito de mentir sobre essa matéria, como qualquer outra pessoa, a menos que incorram em crimes puníveis pela lei geral. Não sei se governador de NY incorreu em algum dos crimes previstos pela lei geral, mas decerto conhecia as regras (escritas e orais, como em outros casos) do sistema. Já há algum problema quando uma pessoa se põe em bicos dos pés numa cruzada moral contra a pornografia e a prostituição, como vem no nosso Conde de Abranhos («ele há grandes problemas...») e depois é apanhado na contramão.
[Da coluna do Correio da Manhã.]

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Luck a 18.03.2008 às 11:27

Há uns tempos e posts atrás, o Francisco apontava o índex ao Estado por estar a imiscuir-se nos assuntos de alcova dos cidadãos.
Não é só fome de fofoca, mas também, é agora o momento de andarmos a analisar a roupa interior e assistir aos batimentos de anca da pouco atraente classe política.
Espero que o Simplex me permita registar as minhas intimidadades, a memória não me chega para tudo.

Sem imagem de perfil

De Z a 18.03.2008 às 15:28

Ó Xico, atão o gaijo andou para ser preso e tu não sabes? A Mónica foi por consentimento, este não foi assim, é diferente.
Imagem de perfil

De caodeguarda a 18.03.2008 às 17:42

Pelo que depreendi de alguns blogs o crime não foi contratar uma prostituta mas o facto de a ter feito entrar no estado para realizar o "serviço", o que é, aos olhos da legislação local, crime.
Sem imagem de perfil

De charlescalixto@hotmail.com a 18.03.2008 às 20:06

Parece que o único crime pelo qual o ex-governador foi averiguado seria o de ter feito pagamentos (não importa a quem ou a que título) por via de empresas "of shore". Um bom exemplo da hipocrisia social norte-americana que nos recorda que o próprio Al Capone foi condenado apenas por não pagar os impostos relativos às suas "actividades"...
A propósito, alguém me esclarece se a prostituição (não me refiro ao proxenetismo) é crime em Portugal?

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.