Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O centro, pobre centro.

por FJV, em 05.03.08

Parece que vai nascer um novo partido “entre o PS e o PSD”, “humanista” e que “quer estar ao centro”. O seu líder diz que quer oferecer aos portugueses uma “política da esperança”. Convenhamos que não é muito original –a ideia é baralhar o ‘centro’, que já anda confuso e espatifado e cheio de patifes. O projecto do Movimento Esperança Portugal integra-se naquele conjunto de iniciativas cheias de boa vontade e de ingenuidade que todos os cardiologistas gostariam de ver a contaminar a sociedade. Felizmente, a política não se fez para quem quer conciliar os portugueses e fazer-lhes ver o caminho da alegria – para isso existem o futebol, a psicanálise, o sexo e até a religião, entre outras coisas. A política é um mundo complexo cheio de compromissos, descaramento e gente de mau-feitio. É nessas coisas que acreditamos. Quando ofereceram o poder ao Mestre de Avis, explicaram-lhe: prometa o que não pode, ofereça o que não tem e perdoe a quem não o ofendeu. Aprendam.

[Da coluna do Correio da Manhã.]

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Rui Silvestre a 05.03.2008 às 01:35

De facto parece-me que a sociedade precisa de bastante esperança ou de qualquer coisa que funcione, por mais maníaca que seja. Acreditar está cada vez mais difícil, principalmente depois de ouvir e ver na TV o Presidente da República afirmar - a propósito da recente onda de homicídios - que não há razão para grandes preocupações porque a nível estatístico a criminalidade violenta em Portugal encontra-se inferior à de alguns países da União Europeia. É uma optima forma de justificar a perda de vidas em Portugal. ("deixem lá, na Romenia é pior"). INQUALIFICÁVEL! (Volta Mestre de Avis). Ora ai está um novo partido com nome adequado para tirar proveito da Depressão Nacional e a bem da "esperança". Merecerá o beneficio da dúvida?

Saudações

Sem imagem de perfil

De PT a 05.03.2008 às 14:37

Que nome horrível para um partido. Aliás, que nome horrível seja para o que for.
Sem imagem de perfil

De ines a 05.03.2008 às 14:50

é verdade. a política é um jogo de promessas e de enganos, e até ficamos todos muito felizes quando isso acontece. temos tempos determinados para as ingenuidades (até à fase de voto) e para os súbitos despertares (depois disso). e gostamos de jogar neste eterno ciclo até porque, se assim não fosse, quem poderíamos nós culpar pelas nossas desgraças?
Sem imagem de perfil

De rms a 05.03.2008 às 16:48

Um novo partido cheio de nada, no meio de coisa nenhuma.
Sem imagem de perfil

De joão melo a 05.03.2008 às 18:28

assim o referiu Medeiros ferreira na casa fernando pessoa
Sem imagem de perfil

De Rui MCB a 05.03.2008 às 21:50

" (...) a ideia é baralhar o ‘centro’, que já anda confuso e espatifado e cheio de patifes"

Uma perspectiva tentadora, libertadora para alguns, mas essa da esperança é um lucho que não é para todos os Gonzales. Vejamos ao menos quantas camadas tem esta cebola?
Sem imagem de perfil

De Orlando Nascimento a 05.03.2008 às 21:56

O Mov. Esperança Portugal pode ser apenas o sonho de uns idealistas ingénuos (há quem ache que são mais uns que se vão encher no tacho do Estado...), mas com este PSD sem rumo, e com alguma desilusão do eleitorado face ao PS-Sócrates, é capaz de fazer um brilharete nas legislativas de 2009...
Sem imagem de perfil

De Rui NS a 06.03.2008 às 01:30

O MEP tem um site: http://www.mep.pt.
Vale a pena conhecer primeiro para comentar depois.

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.