Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Enquanto os lobos uivam, o Ministro da Saúde encerra departamentos.

por FJV, em 28.12.07
Enquanto os lobos uivam em redor da A24, o ministro da Saúde encerra saps e urgências e blocos de partos em Vila Pouca de Aguiar, Alijó, Murça e Chaves. Mas não era isso que eu queria dizer; volto ao princípio: enquanto as populações não descobrem os méritos da iniciativa, os lobos uivam. O que quer isto dizer? Como escreve Pinho Cardão, trata-se de um investimento de «150 milhões de euros para construir um viaduto exclusivamente destinado a lobos e proceder a alterações no traçado da auto-estrada de Vila Real para Chaves», o que totaliza cerca de 20 milhões de euros por cada lobo. Os lobodutos (passei por perto desses lugares muitas vezes, a pé, na serra), segundo referem estudos recentes, preferem não passar por lá, de modo que ficaram 150 milhões de euros disponíveis para eventuais lobos que queiram uma sala de partos nas redondezas. Enfim, como tudo isto me parece absurdo, recomendo a leitura do post de Pinho Cardão, no Quarta República.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De luis eme a 28.12.2007 às 00:37

Bom exemplo das poupanças e da hipocrisia destes ministros, que deviam ser nossos, mas são só deles...
Imagem de perfil

De emgestaocorrente a 28.12.2007 às 20:29

Meu Caro Francisco José Viegas:
O dinheiro é tanto que dá para oferecer jantaradas em hotéis sem limite de inscrições (num hospital em que os poucos monitores cardíacos existentes estão quase todos avariados e em que o único ecógrafo existente já triplicou o seu período de validade); dá também para os membros de um conselho de administraçao comprarem carros novos apesar dos existentes terem menos de 3 anos e, ainda por cima, ultrapassarem os montantes máximos legais através do artificio do leasing (num hospital com mais de 30 milhões de € de dividas acumuladas); dá, ainda, para uma recém licenciada em Direito (e cuja única formação ou experiência profissional conhecida ser o facto de namorar com o dirigente distrital da JS) ser nmeada para um lugar no cons. de administração d 3 hospitais da sua zona (Trás-os-Montes) etc, etc, etc - sim, porque com este ministro e seus cães de fila (nomeados numa sucessão de jobs para boys nunca antes vista) tem sido um fartar vilanagem.
Só não ha dinheiro para prestar cidados de saúde às populações!
Viva o choque tecnológico e o Tratado de Lisboa!!!
Um bom Ano Novo para si já que o povo só pode esperar mais perda de poder de compra, mais desemprego, menos saúde (e mais cara), menos e piores escolas,e muita,muita demagogia.
Saudações cordiais.
António Ventura
PS: tenho publicado poemas seus no
www.emgestaocorrente.blogs.sapo.pt
Sem imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 29.12.2007 às 15:58

Para ler mais alguma coisa que demagogia barata sobre os lobos aconselho:
http://ambio.blogspot.com/
henrique pereira dos santos
Sem imagem de perfil

De henrique pereira dos santos a 29.12.2007 às 19:29

Aqui vai a transcrição de uma mensagem (não minha) numa lista de discussão que tem alguma informação útil (embora não a questão essencial que é a discussão sobre as razões que levam os decisores a menosprezar as políticas de conservação no momento em que formatam outras políticas, como foi o caso da adjudicação das concessões antes dos estudos ambientais feitos).

"Tendo em conta que existe alguma confusão na lista sobre A24, Lobos, Ecodutos Viadutos, 100 milhões, e afins, vamos tentar esclarecer algumas coisas:

Sim o traçado inicial da A24, foi chumbado havendo necessidade em fazer um novo projecto visto que o projecto inicial, era um projecto em fase de excussão, não tendo por isso alternativas.

O traçado do projecto inicial da A24 foi chumbado, por um conjunto de valores presentes (biológicos, património arqueológico, paisagisticos entre outros), entre os quais devido á presença de uma área vital para uma alcateia de lobos (Canis lupus signatus), espécies em perigo e classificada pela Comunidade Europeia como espécie prioritária a proteger.

A alteração do traçado da A24, teve um custo adicional de 100 milhões? Isto não sei, apenas posso afirmar que com certeza não foi por causa do Ecoduto construído “para os lobos”, para quem nuca o viu, este tipo de passagem é exactamente igual a uma passagem superior agrícola (PAS), apenas sendo algo mais larga (as PAS têm normalmente 4-5 metros de largura e este ecoduto tem 15). Que me digam que o viaduto construído para atravessar o vale de Vila Pouca de Aguiar acresceu ao custo total previsto para a construção inicial da A24, acredito que sim.

Que o viaduto era desnecessário ser construído? Não, o atravessamento do Vale de Vila Pouca de Aguiar era sempre necessário ser atravessado por uma estrutura do género, senão vejamos. Imaginemos que o viaduto de Vila Pouca de Aguiar não era construído no âmbito da A24, como é que a o IC5 (continuação da A7), em direcção a Este (Nó do Alto do Pópulo) iria atravessar o Vale de Vila Pouca de Aguiar?

Alguém sabe quanto foi o financiamento da UE para a A24? Financiamento este, que não era feito caso se mantivesse o traçado inicial, visto que estava em causa valores protegidos pela mesma UE.

Se este projecto tivesse sido feito em estudo prévio, talvez não estaríamos a discutir esta coisa neste momento."

henrique pereira dos santos

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.