Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Série Literatura Geral. Keats & Yeats.

por FJV, em 05.09.10

 

 

The Smiths, «Cemetry Gates»

[Sugestão do Jorge Carvalho]

 

«A dreaded sunny day
So let's go where we're happy
And I meet you at the cemetry gates
Oh, Keats and Yeats are on your side
A dreaded sunny day
So let's go where we're wanted
And I meet you at the cemetry gates
Keats and Yeats are on your side
But you lose
'Cause weird lover Wilde is on mine...»

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. Escritores.

por FJV, em 05.09.10

 

Lloyd Cole, «Writers Retreat»

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. Miscelânea irlandesa.

por FJV, em 05.09.10

Dexys Midnight Runners, «Burn It Down»

[Por sugestão do Francisco M. S.]

 

«Never heard about, won't think about
Oscar Wilde and Brendan Behan,
Sean O'Casey, George Bernard Shaw.
Samuel Beckett, Eugene O'Neill, Edna O'Brien and Laurence Sterne.
Sean Kavanaugh and Sean McCann,
Benedict Keilly, Jimmy Hiney
Frank O'Connor and Catherine Rhine.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

O flibusteiro.

por FJV, em 04.09.10

A propósito de Tony Judt, Henrique Raposo chama a atenção para o flibusteiro, Slavoj Žižek.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Questões de doutrina.

por FJV, em 04.09.10

Há uma lição simples a tirar, desde os Idos de Maio, quando estávamos à beira da catástrofe: em política não se negoceia com quem não está disposto a negociar. Bastava olhar um pouco mais para trás – lá, onde os batalhões de descamisados e de novos-ricos nunca compreenderiam que o chefe abrisse a mão do poder tão bravamente conquistado. São muitos empregos, muitos negócios, muitas influências, muito apetite, muitos vícios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O cantinho do hooligan. Encontros imediatos.

por FJV, em 03.09.10

Finalmente. Ontem à tarde, no Porto, um encontro histórico: entre este hooligan e um dos membros da grande academia portista, o excelente Pôncio, co-autor de Pobo do Norte (vale a pena ir ao seu primeiro blog, onde encontrará um arquivo supimpa). Depois da troca de cumprimentos, a agenda (curta, incisiva) ocupou-se da análise político-militar, de questões de estratégia e semântica e ainda da leitura do actual quadro topográfico. Tremei, zoilos! Recuai para o Indostão!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. Emily Brontë.

por FJV, em 01.09.10

 

Kate Bush, «Wuthering Heights»

[Sugestão do Ricardo Peres]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. James Joyce.

por FJV, em 01.09.10

 

 

Andy White, «Looking for James Joyce's Grave»


[Sugestão do Carlos C. Carapinha]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. William Blake.

por FJV, em 01.09.10
Neil Young, «Dead Man theme»

Filme de Jim Jarmusch, com Johnny Depp.
«Every night and every morn / Some to misery are born /
/ Every morn and every night / Some are born to sweet delight»,
de William Blake, do poema «Auguries of Innocence»
[Sugestão de Carla Maia de Almeida.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Série Literatura Geral. Revisitação da Linguística Estrutural e a Ferdinand de Saussure.

por FJV, em 01.09.10

 

 

The Magnetic Fields, «The Death of Ferdinand de Saussure»

[Por sugestão do Francisco M. S.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Equivalências.

por FJV, em 01.09.10

Esta manhã, pelo menos durante a manhã-manhã, a TSF e a RDP África ocuparam-se dos distúrbios em Maputo, provocados pelo aumento dos combustíveis, pão, transportes, água e electricidade (chegam a 20%, num país em que o salário mínimo é de MTC2,500, cerca de €55). A TSF fez uma boa cobertura, a Antena 1 (estranho, porque os voos da TAP estavam cancelados, etc.) não mencionou o assunto — e a RDP África teve várias intervenções, naturalmente. Curioso, para quem ouve reportagens sobre «distúrbios & motins» na Europa, ouvir dizer, no caso moçambicano, que a polícia lançou gás lacrimogénio diante «das provocações da multidão», que «não se sabe quem está por detrás destas manobras», que «isto está a prejudicar as pessoas que querem ir para casa», que as barricadas estão a «impedir a vida normal», etc. Quando, há cerca de dois anos e por motivos idênticos, houve distúrbios em Maputo, a imprensa referiu de passagem que tinham morrido seis pessoas (na verdade, baleadas). Eram pretos, não é? Gente reaccionária, já se sabe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 3/3




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.