Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por FJV, em 22.08.07
||| Começa hoje.
Agora que o Supremo brasileiro vai começar, a partir de hoje, a discutir se a quadrilha do mensalão vai ou não ser julgada, pode relembrar-se este momento glorioso, «o repto lançado por Roberto Jefferson na direção de José Dirceu, à época o chefão do Gabinete Civil de Lula»: «Rápido, sai daí rápido Zé, senão você vai fazer réu um homem inocente, que é o presidente Lula...» Dirceu saiu; enxotado. Como declarou o Apedeuta: «Foi afastado. Foi afastado. Eu o afastei. Afastei o Zé Dirceu, afastei o Palocci, afastei outros funcionários que estavam envolvidos e vou continuar afastando.»
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 22.08.07
||| Os meninos eléctricos.
Houve um certo alvoroço com esta notícia; a GNR «deteve 108 pessoas, entre os 20 e 30 anos durante o festival de música electrónica em Elvas, nos últimos dias, e apreendeu 15 mil doses individuais de droga». Uma mulher acabou mesmo por morrer de overdose. A gloriosa província renasce das cinzas. Há tempos ouvi falar do festival de música electrónica (creio que não é bem isso) em Carviçais. Eu lembro-me de Carviçais na minha infância e adolescência, conhecida apenas pela proximidade das minas de volfrâmio do Carvalhal, pelo restaurante Artur (então uma taberna) e pela paragem de cinco minutos da automotora Pocinho-Duas Igrejas (o comboio normal parava durante mais tempo por causa do vagão postal e das mercadorias). Imagino a impressão que farão o techno, o trance e outras formas de arte sofisticadas no planalto desertificado do Nordeste, aborrecendo as cigarras, os grilos, os melros e os escorpiões dos penhascos e dos olivais. Em tempos, ali perto do Sabugal, uma freguesia da montanha anunciava um espectáculo na antiga Casa do Povo com duas bandas de death-metal («o mosh começa às dez da noite», terminava o folheto). Já quanto a Elvas, compreendo; ali, o festival é um grande acontecimento turístico no arame da fronteira. Sinceramente, tanto me faz que eles caiam que nem tordos ao som de música electrónica como se abatam a si mesmos com «1,9 quilos de haxixe, 1478 selos de LSD, 440 gramas de anfetaminas, 70 gramas de cocaína, 3,6 gramas de heroína e 70 comprimidos de ecstasy» (foi esta a apreensão no local), porque parece que a ideia era «juntar entusiastas do psicadélico e pessoas com filosofias interessantes de todos os pontos do globo e promover o equilíbrio entre a natureza e a tecnologia». No hospital local apareceram 36 pessoas com sinais de consumo excessivo de drogas, a necessitar de apoio médico. Apenas peço que alguém limpe o tapete.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 22.08.07
||| Menezes.
É a guerra, é a guerra. Mesmo com plágios.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 22.08.07
||| O dinheiro dos partidos.
Se José Lello alguma vez comentar este assunto, será motivo para felicitar Vital Moreira.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 22.08.07
||| Atum Chávez & Humala.










O Henrique Burnay descobriu esta preciosidade. Trata-se de latas de atum com os retratos de Chávez e Ollanta Humala (nacionalista e folclorista peruano apoiado por Chávez nas eleições, e derrotado). O governo de Caracas diz «que desconoce su origen» e atribui a patetice ao imperialismo americano. Duas semanas atrás, o governo venezuelano também desconhecia a origem de uma mala com 800 mil dólares «en efectivo» apreendida em Buenos Aires a um executivo da PDVSA (a estatal de petróleo venezuelana) e eventualmente destinada a financiar a campanha eleitoral da mulher de Kirchner; o transportista limitou-se a viajar com o staff governamental venezuelano e a partir com ele para o Uruguai. Caracas diz que a mala é uma manobra americana.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 22.08.07
||| O deserto.
É para quase toda a gente evidente que o senhor ministro da Administração Interna não aprendeu nada com o seu trabalho anterior. E devia. Vendo bem, e lendo bem as suas declarações na SIC, trata-se de um falhanço político que tenta refugiar-se em armadilhas jurídicas. O seu papel, naquele momento, era essencialmente político.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| Problemas, problemas.
Pois. Há explicações que têm de ser dadas. Contas são contas. Era uma boa oportunidade para começar a pôr as contas dos partidos em dia.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| O cantinho do hooligan. A Arménia, esse monstro.
Isto poderia ser trágico: Portugal tem de vencer a Arménia. Contentai-vos, canibais.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| Coisas do Verão





1. A morte de Bergman e de Antonioni. É uma parte do «meu» cinema que desaparece. Uma parte de mim.




2. A livraria Michelena, em Pontevedra. Tomara a província portuguesa ter livrarias assim...



3. O restaurante El Crisol, no O Grove (Galiza). A qualidade gastronómica e a simpatia no atendimento. Parabéns, D. Digna!





4. O bar de copas Vinilo, também no Grove. Para um urbano-depressivo como eu, um oásis no meio das férias. E com fumo, como convém.






5. O Terras Gaudas, que descobri há muitos anos atrás pela mão do Paco Feixó. Continua um vinho branco excelente, a provar que o Albariño pode ser acertadamente misturado com outras castas.





6. Os contos de Hemingway, numa excelente edição (e tradução) espanhola da Lumen. O reencontro com um dos "meus" escritores.

7. Estar no Algarve fechado num hotel como se o Algarve não existisse. A felicidade às vezes anda perto de nós.

[MAV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| O cantinho do hooligan. Nada contra.
Parece que Fernando Santos foi surpreendentemente despedido pelo Benfica que, há já uns tempos, tinha Camacho cuidadosamente preparado. As coisas inesperadas têm sempre um longo historial a anunciá-las.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| Apelo.
O Maradona pergunta: queres ser um especialista em transgénicos?

Já agora, Maradona, tens razão: o Vasco escreve muito bem sobre viagens. Bom; ele escreve bem.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 21.08.07
||| Acordo ortográfico para a Língua Portuguesa.
O Brasil está a preparar a prática do Acordo e os jornais vão publicando informação.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 21.08.07
||| Pão.









Há dias, num restaurantezinho que frequento, fui informado de que vai passar a ser praticamente impossível continuar a receber aquele saboroso pão que vem (neste caso) do Alentejo. As autoridades vão querer, certamente, o pão plastificado ou cozido em forno eléctrico. Antigamente, nós queixávamo-nos «das leis de Bruxelas» que atacavam o nosso precioso queijo da Serra ou se recusavam a proteger a denominação de origem do melhor dos vinhos (o Porto), ou se metiam na nossa mesa sempre que queriam. Agora, o perigo é outro e está cá dentro: chama-se falta de bom-senso. Tenho uma lista das tabernas e tascas a visitar antes de serem remodeladas, e uma outra com fornecedores de pão cozido em forno de lenha. Ou, então, passaremos a fazer raides em Espanha, para manter o atrevimento.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| Cavaco.
Um post clarificador do Francisco Almeida Leite.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| Resumo.













Um grupo de meninos e meninas alternativos, onde (a avaliar pelos textos e pelos discursos) se misturam o discurso radical ecologista, o gosto pelos adubos orgânicos, os narguilés, a new age, a mentalidade anti-científica e a vulgata esquerdista, decidiram promover um espectáculo – destruir um hectare de milho transgénico, invadindo uma propriedade e ministrando, alto e bom som, sempre com os microfones das televisões ligados, lições de moral, ecologia e política. Para não ir mais longe, trata-se de uma violação da propriedade e da lei, além de um ataque ao trabalho de um pequeno agricultor, aplaudida – de quatro – por “especialistas em sublevações”, desde que não as sofram eles na pele. As iniciativas dos meninos (que tiveram o cuidado de se resguardar contra o pólen, pobrezinhos, numa iniciativa “de acção directa e desobediência civil”) foram incluídas num site governamental; isto não constitui novidade nem é caso para escândalo ou para desviar as atenções do essencial, uma vez que a ampla generosidade institucional para com grupos alternativos mistura a sua própria generosidade com a duvidosa boa-fé dos outros – ou seja, com a sua patetice. Há demasiados patetas nas ONG e nos grupos que usam linguagem “ecológica” e “alternativa”; isso é mau para as ONG e péssimo para nós, cidadãos. Aquela linguagem, cheia de metáforas “alternativas” e de ditirambos sobre a “ordem moral & ecológica” é duplamente perigosa: para os próprios, porque pensam que pensam alguma coisa, e para os incautos e generosos, que lhes atribuem alguma importância – é uma linguagem cheia de preconceitos anti-científicos e de coisas que ficam bem, tal como palavras fora de contexto e erva mal misturada. É importante que isso sirva de lição à política de juventude; os jovens devem levar para trás e devem ser ensinados a ler, escrever e contar com alguma competência, arranjando-se-lhes ocupação apropriada e não serem industriados por vândalos.
Finalmente, sobre a natureza “estética” da iniciativa, coisa já suficientemente alvo de chacota, apenas confirma o razoável vácuo daqueles cerebelos. O presidente da República agiu bem ao pedir responsabilidades; o governo deve prestar apoio jurídico ao agricultor lesado, que deve poder processar os meninos; o ministro da Agricultura falou razoavelmente; o ministro da Administração Interna falou tarde demais, para defender a sua corporação, mas deve fazer-nos saber que mandou mesmo proceder a um inquérito porque a actuação da GNR é mais do que duvidosa; e aquela rapaziada deve ser identificada e levada a tribunal (por muito menos, já gente honesta foi à barra). Ou seja: se as televisões sabiam o que ia acontecer, supõe-se que a GNR também deveria saber. Não somos ingénuos.
Quanto ao resto, não vale a pena ser moralista. A vida segue. Mas prontifico-me a contribuir para apoiar o agricultor, tal como contribuo para o auxílio às vítimas de catástrofes naturais. No caso das “catástrofes naturais”, não culpo os céus, porque os elementos são assim mesmo; neste caso, cabe-nos exigir que os meninos sejam punidos.

Adendas: 1) ainda não tinha prestado atenção à acusação que pesa sobre a Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL. Espero que a FCT desminta o rumor. 2) nunca é demais insistir na hipocrisia destes movimentos financiados por dinheiros públicos para promover pseudo-ciência e “banalidades ambientalistas”.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 21.08.07
||| BBC.
Vejamos. A BBC emite uma série de ficção passada num hospital, Casualty. Os argumentistas decidiram criar um episódio em que o hospital tem de prestar assistência a vítimas de um atentado terrorista reivindicado por extremistas islâmicos. Porém, para evitar ofender o Islão, o argumento foi alterado e o atentado passou a ser provocado por «defensores dos direitos dos animais». Espero que os «defensores dos direitos dos animais» não se ofendam; perdão, que se ofendam.
[Via O Insurgente.]
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 20.08.07
||| Clima húmido e solo vulcânico.
Agora se compreende o crescimento do turismo para o Pico.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 20.08.07
||| Tudo se explica.
«Gualter Baptista, porta-voz do movimento Verde Eufémia, reagiu ontem ao anúncio feito pelo Ministério da Administração Interna da abertura de uma investigação ao caso afirmando tratar-se de "uma perseguição política" e "uso indevido dos dinheiros públicos".» Estamos entendidos.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 20.08.07
||| Dossiers anónimos.
«Há, como se sabe, uma ética do tratamento de dossiers "anónimos"; faz parte da originalidade portuguesa - se ligas a um, tens de ligar a outro; se lês um, tens de ler o outro, e assim por diante, até não haver espaço nos arquivos da Procuradoria ou lugar nas primeiras páginas dos jornais.» O artigo desta segunda-feira no JN.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 20.08.07
||| Ingrid.
Lembra o Tiago Barbosa Ribeiro: «Ingrid Betancourt está sequestrada pelas FARC há 2000 dias. Será que este ano os narco-guerrilheiros voltarão a estar na Festa do Avante?»
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 20.08.07
||| Brasil. O cerco.










Se houver mais cinco juízes corajosos no Supremo Tribunal Federal, além de Joaquim Barbosa, os quarenta «integrantes da “quadrilha” do mensalão» passarão a réus. Entre eles, José Dirceu («ex-chefe da Casa Civil de Lula, acusado de saber e comandar o esquema do mensalão»), José Genoíno («ex-presidente do PT»), Delúbio Soares («ex-tesoureiro do PT expulso do partido»), Luís Gushiken («ex-secretário da Comunicação de Governo e Gestão Estratégica e ex-assessor especial de Lula»), Marcos Valério («encarregado do pagamento do mensalão aos deputados que participavam do esquema e de emprestar dinheiro ilegalmente ao PT»), E. Pizzolatto («Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil»), Professor Luizinho (ex-deputado do PT e ex-líder do governo Lula no Congresso), João Paulo Cunha (ex-presidente do Congresso pelo PT), Duda Mendonça (publicitário com mais contas do governo e responsável pelo marketing pessoal de Lula).

Adenda: Vários mails indignados têm posto em causa a acusação pública contra a quadrilha petista, com o argumento de que «não gosto de Lula». Para tirar dúvidas, passo a citar do documento do procurador-geral: «sofisticada organização criminosa, dividida em setores de atuação, que se estruturou profissionalmente para a prática de crimes como peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além das mais diversas formas de fraude»; «Marcos Valério aproxima-se do núcleo central da organização criminosa (José Dirceu, Delúbio Soares, Sílvio Pereira e José Genoíno)»; «as provas colhidas no curso do Inquérito demonstram exatamente a existência de uma complexa organização criminosa, dividida em três partes distintas, embora interligadas em sucessivas operações: a) núcleo central: José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno e Sílvio Pereira [...]»; «Com a vitória na eleição presidencial, inicia-se, em janeiro de 2003, a associação criminosa entre os dirigentes do Partido dos Trabalhadores e os denunciados»; «parte dos recursos referentes aos R$20 milhões de reais que iam ser transferidos pelo PT ao PTB seriam obtidos em transação referente à aquisição da empresa TELEMIG pela Brasil Telecom, operação acompanhada diretamente pelo ex Ministro José Dirceu»; «montaram uma estrutura criminosa voltada para a prática dos crimes de corrupção passiva e branqueamento de capitais»; «o Professor Luizinho ocupou o estratégico cargo de líder do governo na Câmara dos Deputados, com o aval do núcleo político-partidário da organização criminosa»; «mantinham um intenso mecanismo de lavagem de dinheiro com a omissão dos órgãos de controle, uma que possuíam o apoio político, administrativo e operacional de José Dirceu, que integrava o Governo e a cúpula do Partido dos Trabalhadores»; «Tudo sob as ordens do denunciado José Dirceu, que tinha o domínio funcional de todos os crimes perpetrados, caracterizando-se, em arremate, como o chefe do organograma delituoso».
Documento, na íntegra (PDF), pode ser lido aqui.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 19.08.07
||| Eles protegem o crime e os criminosos.









A Veja da semana passada publicava a lista dos envolvidos no mensalão, o maior escândalo do lulismo e mostrava que, com pouquíssimas excepções, todos andavam impunes, ou foram reeleitos pelo PT, ou protegidos pelo Apedeuta, ou andam em bolandas para serem amnistiados pelo partidão. Pode ver aqui quem é quem na CPI do Mensalão.
Neste domingo, o Estado de São Paulo dá a notícia: «Alheio ao Supremo, PT não vai punir envolvidos no mensalão». Longe vão os tempos em que José Genoíno, então presidente do PT, podia ter o descaramento de dizer «o PT desconhece esse assunto, nunca ouvi falar sobre ele, portanto nós estamos repudiando esse tipo de acusação conta o PT». Lula, o Apedeuta, chegou mesmo a insinuar: «Cortaremos na própria pele se necessário.» Não cortaram; apenas afastaram Delúbio Soares, o tesoureiro do PT, que os enriqueceu, e sobre quem Genoíno dizia «o companheiro Delúbio tem o nosso apoio, a nossa confiança». Em dois anos, todo os homens de Lula enriqueceram, corromperam, movimentaram dólares (de Cuba, de paraísos fiscais, da Colômbia, etc), foram corrompidos, perseguiram e montaram uma máquina de comunicação que já mereceu o repúdio dos Repórteres sem Fronteiras e da OIJ (Lula foi o único presidente, desde Geisel, que assinou uma ordem de expulsão a um jornalista).
O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, num documento nunca desmentido nem atacado, acusa esse círculo do PT e de amigos de Lula, de formar uma «sofisticada organização criminosa», que através do desvio de «dinheiro público para comprar apoio político», com o objectivo de «garantir a continuidade do projeto de poder» do PT; nesse documento, o Procurador denunciou quarenta pessoas, sob a acusação de integrarem uma «organização criminosa». Segundo esta notícia de hoje do Estado de São Paulo, o PT está acima da lei e estará acima da lei: «Qualquer que seja o veredicto do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra os acusados no escândalo do mensalão, o PT não vai punir os ex-dirigentes e deputados envolvidos na crise.» Entretanto, na Folha de São Paulo deste domingo (a edição em papel está à venda em Portugal a partir das 15h00), o próprio procurador-geral anuncia que há mais provas sobre o mensalão.
As vaias contra Lula começam a mostrar o jogo do Apedeuta e dos seus amigos.

Aqui, pode ver a lista de todos os acusados no mensalão e a natureza dos seus crimes. Aqui, pode ver e ouvir entrevistas e testemunhos. Aqui, a cronologia do escândalo.

[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 19.08.07
||| Off line.
Às 18h31 a página do Ecotopia (http://juventude.gov.pt/Portal/Eventos/EducacaoFormacao/19_Edicao_+do_Ecotopia.htm) do Portal da Juventude tinha sido retirada do ar («Página não encontrada») da sua secção destinada a links de Educação e Formação. Não acho mal. O Ecotopia, com ligações às operações de vandalismo no Algarve, foi referido pelo Abrupto.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 19.08.07
||| Afinal, era estético.
Miguel Portas esclarece que o seu apoio aos vândalos de Silves («a minha simpatia») tinha como base a sua convicção «de que a acção foi simbólica». Quanto ao facto de os meninos e meninas irem de rosto tapado, isso devia-se ao «pólen» e também «por causa da estética do movimento».

Ver Eduardo Pitta: «Quando for cometer um crime, deixe o BI em casa.»
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 19.08.07
||| México.








Primeira grande exposição da obra fotográfica de Juan Rulfo, na Unam (Universidad Nacional Autónoma de México). Algumas podem ver-se aqui.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 19.08.07
||| Jeito para o negócio.
Os casinos de índios americanos obtêm quatro vezes mais lucros do que Las Vegas.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 19.08.07
||| On The Road, 50 anos.











O The New York Times deste domingo publica um bom dossier sobre os cinquenta anos de On The Road e a figura de Jack Kerouac. Alguns dos textos a «recortar» para ler depois: «Still Vital, ‘On the Road’ Turns 50», de Motoko Rich e Melena Ryzik; «You Don't Know Jack», sobre a biografia de John Leland, Why Kerouac Matters. The Lessons of ‘On the Road’ (They’re Not What You Think) (Viking); e «On the Road Again», de Luc Sante. Por curiosidade, pode ainda ler-se, em fac-simile, a primeira crítica a On The Road, por Gilbert Millstein, em 1957, no NYT.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

...

por FJV, em 19.08.07
||| Os fantasmas.
Sobre política e religião: «The Politics of God», de Mark Lilla, o autor de The Stillborn God: Religion, Politics and the Modern West, no The New York Times.
[FJV] [MAV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 19.08.07
||| Ordem ecológica, 2.
Há, diante das acções violentas dos meninos e meninas da extrema-esquerda vestidos de saltimbancos e flibusteiros, e dos “ambientalistas” em “acção directa”, uma tolerância injusta. Para a maior parte deles não se trata de discutir uma posição política, mas de actuar no circuito de um espectáculo de protesto e de devastação contra “o sistema”, sejam quais forem as razões. Geralmente, tudo se reduz a espectáculo, é verdade; mas trata-se de um espectáculo com custos para cidadãos indefesos, como o proprietário da exploração agrícola algarvia. Uma coisa é discutir a questão dos transgénicos; outra, inteiramente diferente, é actuar à margem da lei e sob a sua protecção, uma vez que as autoridades se abstêm de intervir contra os meninos – que, às vezes, no caso de certos grupos, recebem subvenções públicas.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 19.08.07
||| Revista da imprensa.











Além da Pública de hoje (dedicada à cerveja), o jornal do dia é O Jogo: Quaresma no primeiro caderno, Ana Hickmann no suplemento. Já regressaremos à normalidade em próximo post.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.