Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Zimler.

por FJV, em 04.05.11

Sempre me angustiou (é um pouco forte, eu sei) a obrigatoriedade de ter alguém a apresentar um livro de outra pessoa. Há autores que sabem falar do seu livro; outros não podem falar, ou não sabem falar, ou não querem falar (até por lhes faltar a paciência). As sessões de lançamento são, por isso, mais ou menos regidas por esse cânone: editor fala e agradece, apresentador apresenta, autor agradece e fala. Há variações, evidentemente. Um livro meu foi apresentado por um amigo que garantiu que o não tinha lido, o que é de uma honestidade desarmante e fatal. Às vezes há continuação da «festa», o que tanto pode exigir a presença de declamadores, recitadores e leitores em voz alta, como de corais alentejanos ou de um quarteto de cordas – acho que um quarteto de cordas é aceitável, mas o resto é despropositado a menos que se trate de um «sarau». Há casos, no entanto, em que a melhor pessoa para apresentar o livro é o autor, ele mesmo e sozinho, falando sobre o processo de escrita (uma curiosidade atraente), sobre um personagem ou sobre um tema (o tema) ou, inclusive, lá está, sobre o livro. Por isso, gosto da coragem de Richard Zimler, que irá apresentar o seu próprio livro, no dia 9, às 18.30, no El Corte Inglés de Lisboa. Richard vale por tudo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De amv a 04.05.2011 às 14:01

Eu apresentei o meu primeiro livro, há 15 anos, na Livraria Barata, em Lisboa. Não porque me apetecesse, mas porque não tinha ninguém para apresentar.
http://floresta-do-sul.blogspot.com/2009/09/o-meu-primeiro-livro.html
Sem imagem de perfil

De henedina a 05.05.2011 às 01:07

Acabei de vir da Feira do Livro de Braga (tem lá uma foto sua com o Mar em Casablanca) no espaço maior da feira: Leya, etc.
E hoje falavam em acabar com música...Maestro Vitorino d'Almeida, Luís Represas.
A feira do livro de Braga está descaracterizada, o monopolio não é bom para escritores e livros, acho eu.
Fui a pensar, tens cheques fnac, há crise não compres mas os livros são as únicas compras que não resisto (não gosto de fazer compras, nisso não sou nada "mulher").
Sem imagem de perfil

De luis eme a 05.05.2011 às 09:42

concordo, ninguém fala melhor dos nossos livros que os seus autores.

quando os apresentadores são egocêntricos, misturam-se e falam mais deles que do livro e do autor em festa.

quando não são, enchem o autor de elogios, mas mal falam do que está dentro do livro...
Sem imagem de perfil

De João Luís Barreto Guimarães a 05.05.2011 às 11:05

Acresce ao post do Francisco que o Richard, além de ser um excelente contador de histórias é igualmente um extraordinário e generoso comunicador. Já o ouvi por duas ou três vezes (ao vivo) e senti-me sempre recompensado neste exacto sentido: o que ele disse sempre acrescentou ao objecto apresentado.
Imagem de perfil

De JRS a 10.05.2011 às 22:13

Ah, pois, mas eu posso dizer que fui o único editor / apresentador / autor de um livro ao mesmo tempo. Ah, pois. Foi há quatro anos na Fnac de Santa Catarina. Três cadeiras, o editor da Magnólia (Jorge Reis-Sá), agradeceu, deu a palavra ao apresentador do livro (Jorge Reis-Sá) que fez um intervenção brilhante que por sua vez permitiu que o autor (Jorge Reis-Sá) saísse da apresentação muito contente. Todos eles, estranhamente, acharam que falaram muito bem. Abraços! Jorge Reis-Sá :)

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.