Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ingenuidades de Maio.

por FJV, em 26.09.10

Tomás Vasques na mouche: «Quando em Agosto, em Quarteira, Passos Coelho pediu para José Sócrates se demitir até 9 de Setembro, o presidente do PSD sabia que, depois dessa data, ficava com uma batata quente nas mãos: o ónus de ter de aprovar o Orçamento de Estado. E tinha razão.»

Há umas semanas relembrei aqui que tudo começou em Maio: «Há uma lição simples a tirar, desde os Idos de Maio, quando estávamos à beira da catástrofe: em política não se negoceia com quem não está disposto a negociar.» Nessa altura não houve testemunhas; mas houve conversas, e algumas bastante dramáticas. Mas o erro não foi de José Sócrates; a ingenuidade foi de Pedro Passos Coelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.