Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Martin Amis amanhã nas livrarias. Primeira tradução mundial.

por FJV, em 08.04.10

 

 

«Esta é a história de um trauma sexual. Ele não era de tenra idade quando isso lhe sucedeu. Era, por qualquer definição, um adulto; e consentiu — deu o seu expresso consentimento. Será então trauma a palavra que pretendemos (do grego «ferida»)? Porque a ferida dele, quando chegou — não lhe doeu nem um pouco. Era o oposto sensorial da tortura. Ela elevou-se sobre ele sem roupas nem armas, com as suas tenazes de felicidade — os lábios dela, os dedos dela. Tortura: do latim torquere, «torcer». Era o oposto da tortura, e porém torcia. Arruinou-o durante vinte e cinco anos.

Quando ele era novo, as pessoas que eram estúpidas, ou doidas, eram chamadas de estúpidas, ou doidas. Mas agora (agora ele era velho) os estúpidos e os doidos tinham nomes especiais para o que os afligia. E Keith queria um. Ele também era estúpido e doido, e queria um — um nome especial para o que o afligia.
Reparara que até as coisas dos miúdos tinham nomes especiais. E lera acerca das supostas neuroses e ilusórias desvantagens destes com o olhar enviezado de um paciente experiente e hoje em dia bastante cínico. Reconheço essa, dizia ele para si mesmo: também é conhecida por Síndrome do Merdoso. E até reconheço aquela: também é conhecida como Desordem do Sacana Preguiçoso. Tais desordens e síndromes, ele estava certo disso, eram meras desculpas para que as mães e os pais drogassem os seus filhos. Na América, que era o futuro, de uma maneira geral, a maior parte dos animais domésticos (cerca de sessenta por cento) tomavam drogas para o temperamento.

[…]
Era o Verão de 1970, e o tempo ainda não os tinha espezinhado, a estes versos:
As relações sexuais começaram
Em 1963
(O que foi bastante tarde para mim) —
Entre o fim da proibição de Chatterley
E o primeiro LP dos Beatles.
Philip Larkin, «Annus Mirabilis», revista Cover, Fevereiro de 1968.

Mas agora era o Verão de 1970, e as relações sexuais já iam bastante adiantadas. As relações sexuais tinham conquistado bastante terreno, e andavam muito no espírito de toda a gente.
As relações sexuais, devo sublinhá-lo, possuem duas características únicas. São indescritíveis. E povoam o mundo. Não deveria surpreender-nos, portanto, que andem muito no espírito de toda a gente.»
[Edição Quetzal. Tradução de Jorge P. Pires]

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.