Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Contabilidade.

por FJV, em 05.01.10

As contas portuguesas dão sempre resultado incerto. No papel, os resultados são positivos e apaixonantes; durante a realização dos projetos, há um desacerto total – os proventos não chegam, os gastos disparam e todos nós empobrecemos mais um pouco. Foi assim sempre, mas sobretudo na época da embaixada de D. Manuel ao Papa, um dos episódios mais pífios da nossa sede de gastos. Vejam-se os estádios de futebol (sobras do Euro 2004): neste momento, há pelo menos três autarquias que gostariam de deitá-los abaixo porque estão a ficar caros demais. Gostamos de ser otimistas por obrigação. Por isso, no último dia do ano, limitemo-nos a não fazer contas mas a pensar no assunto: nos EUA há mais bibliotecas do que McDonalds; em Portugal há mais estádios do que bibliotecas.

[Na coluna do Correio da Manhã]

Autoria e outros dados (tags, etc)




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.