Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os demónios da destruição.

por FJV, em 07.12.17

É um dos livros do ano – Tempo de Raiva, do anglo-indiano Pankaj Mishra (Temas e Debates) analisa os laços da violência entre as várias utopias, do comunismo ao nazismo, do populismo aos vários messianismos. Mishra situa essa onda de raiva lá mais atrás, no século XVIII, e lê de uma forma mais perversa as implicações do Iluminismo, marcado pelo ressentimento de figuras afinal pouco exemplares, como Voltaire ou Rousseau, que se julgavam iluminados – ou pelo saber ou pela casta a que pertenciam, a dos inteletuais da era da Razão. No seu novo livro, Bárbaros e Iluminados. Populismo e Utopia no Século XXI (D. Quixote), outro dos livros do ano, Jaime Nogueira Pinto aborda o problema de forma semelhante e desenha um confronto entre bárbaros e iluminados – em que estes são os herdeiros das utopias e da Razão, cercados pelos bárbaros (de Trump aos populistas europeus) e inimigos das Luzes e das suas conquistas, num mundo em que cresce a tentação pelo autoritarismo. Ondas de raiva, tempo de ressentimento – periodicamente somos assaltados pelos demónios da destruição.

[Da coluna no CM]

Autoria e outros dados (tags, etc)




Blog anterior

Aviz 2003>2005


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.