Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Notas soltas.

por FJV, em 15.02.08


A questão não é o Metro de Londres ter proibido a afixação de um determinado cartaz nos seus corredores; a questão é que esse cartaz transporta consigo uma pintura da autoria de Lucas Cranach, o Velho, que também pintou o austero Lutero ou a seráfica imagem de Jesus Cristo. Quinhentos anos depois, os bigodudos do Metro de Londres proibem uma pintura de Lucas Cranach com medo de ofender os passageiros multiculturais que andam nas suas carruagens – essa é a notícia. Por que o fazem? Por medo. Por medo e pouca vergonha. O medo é, neste caso, vergonhoso, porque acha aceitável a reacção de gente que pode achar blasfema a pintura que Lucas Cranach compôs há quinhentos anos e que a Royal Academy exibirá a partir de 8 de Março. O medo instalou-se nas nossas ruas e nas nossas casas. Já não basta temer as ofensas que se causam; é preciso prever que alguém se ofenda e apedreje as nossas ruas e as nossas casas. Mais do que uma vergonha, é uma filha da putice. Assim mesmo.

No Correio da Manhã de hoje.

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Ana Cristina Leonardo a 15.02.2008 às 02:22

depois do Maomé a Vénus ... está tudo a ficar politicamente doido!
Sem imagem de perfil

De Miguel a 15.02.2008 às 10:18

Estamos nas mãos de puritanos, cujas mães não têm culpa... E a censura na televisão, para quando?
Sem imagem de perfil

De António a 15.02.2008 às 10:48

A nudez humana é, pelos padrões morais vigentes na sociedade global, proibida e banida.
É claro que ao nível pessoal, a permissão da nudez, varia numa escala e grau inapercebíveis.
Qual a diferença entre a exibição pública desta obra e, por exemplo, uma foto de uma mulher nua?
A resposta deve formular-se no terreno da arte ou da moral?


Sem imagem de perfil

De C a 15.02.2008 às 14:28

Esta, sendo uma obra de arte, tem que ser vista como tal. A outra questão é: pode a arte estar intencional e naturalmente exposta ao olhar do cidadão comum, ou só poderá viver confinada aos espaços desde sempre a ela destinados? E que tal lembrar Lampedusa quando, pela voz de uma personagem, afirma que muito 'pior' é a nudez da alma?
Sem imagem de perfil

De JN a 15.02.2008 às 11:22

Bomba!
.
.
.
.
.
Alguém disse bomba?
Sem imagem de perfil

De luis a 15.02.2008 às 15:18

Não acho que seja medo, ou pelo menos não é medo generalizado, foi apenas um estúpido que tomou uma decisão estúpida, é fácil de ver, nínguém em Londres proíbe que se exponha esta figura nas ruas.
Há gaijos estúpidos em todos os lados, há Sousas Laras em todos os cantos!
Sem imagem de perfil

De Dorean Paxorales a 16.02.2008 às 13:02

Ao paradoxo apresentado por luis: qual a religião da maioria dos trabalhadores de serviços públicos de Londres (principalmente transportes)?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.02.2008 às 15:23


O que eu acho graça nisto tudo é que a Inglaterra de hoje após 11 anos de socialismo 3º via é uma sociedade extremamente persecutória e tão policticamente correcta que mete nojo.
O sr sousa pinto é um grande admiradordisto tudo.


Sem imagem de perfil

De rvn a 15.02.2008 às 20:24

francisco,
sugiro que não percas, a propósito deste teu post, o que se passa aqui:
http://aspirinab.com/valupi/ha-muita-fe-no-reino-da-dinamarca/#comments
abraço
Sem imagem de perfil

De Pedro Gomes a 16.02.2008 às 01:43

Ora realmente digam lá que a senhora não ficava muito mais bonita com uma burquazita a tapá-la da cabeça aos pés? Até me espanta porque é que a Mona Lisa ainda está em exposição no Louvre … então não se vê logo que aquele sorriso maroto é puramente sexual e blasfemo?
Sem imagem de perfil

De larissa a 16.02.2008 às 15:27

... eu própria já não sou capaz de fazer festinhas a uma criança sem pensar o impensável : será de bom tom para os pais?
que mundo é este ?
Sem imagem de perfil

De Paulo a 16.02.2008 às 16:47

Importam-se de me respeitar?
O nu feminino fere a minha sensibilidade.
Oh, se fere...
Relembro-me da anedota do toureiro que descobre que é uma lésbica.
(Um velho toureiro está sentado a tomar uns copos num bar quando ao lado dele se senta uma rapariga, que lhe pergunta:
- És um verdadeiro toureiro?
- Sim, - responde o toureiro - sou um verdadeiro toureiro, passo os dias a treinar com os touros e ao domingo vou tourear para a praça. E tu, o que és?
- Sou uma lésbica! Passo o dia todo a pensar em mulheres, assim que me levanto penso em mulheres, quando como, tomo banho, vejo TV, só penso em mulheres...
Passado um pouco, um casal senta-se ao lado do toureiro e pergunta:
- És um verdadeiro toureiro?
- Sempre pensei que era - responde o toureiro - mas hoje descobri que sou uma lésbica.)

Durmo a pensar em mulheres nuas, durante o dia desoriento-me ao despir mentalmente as mulheres atraentes (que são cada vez mais em quantidade e em grau), à noite percorro os sítios da especialidade na internet, durante uma, duas, três horas vejo nudezes de corpos e de almas.
Por isso, chegar ao metro e levar com mais mulheres nuas... é ofensivo.
Já chega, alguém tem de pôr cobro a isto. Se tivermos de chegar à "muçulmania" (com e apenas o adequado respeito), que seja. Gente como eu tem de corrigir-se, mesmo que à força.

Comentar post


Pág. 1/2




Blog anterior

Aviz 2003>2005