Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por FJV, em 30.10.07
||| Escutas.
Afinal, segundo o Procurador-Geral da República, todos estamos sob escuta. Todos podemos ser alvo dos «aparelhos para escutas ilegais à venda no mercado»; não nos bastavam os aparelhos legais para escutas aparentemente legais ou ligeiramente abusivas, como ainda há aparelhos para escutas ilegais. Isso é uma grande novidade, sim senhor. O que as autoridades propõem, portanto, é que se impeça a venda dos «aparelhos para escutas ilegais» em Portugal; a partir daqui, os aparelhos ilegais passarão a vender-se apenas pela internet ou a quem vá a Espanha, ao Brasil ou aos EUA. Que coisa pechisbeque.

Já agora, para quem quiser, os aparelhos a que se referem as autoridades estão à venda por preços inferiores na ABC Electronica, na Digital Centre, nas lojas da Cnel. Toledo e do Hijazi Centre, em Ciudad del Este
, fronteira do Paraguai. Há uma pequena amostra da área no filme Miami Vice, mas quem está no Brasil pode dar um saltinho até lá; eles adaptam ao sistema europeu-português e tudo.
[FJV]

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Rui Vasco Neto a 31.10.2007 às 19:10

Toda a gente escuta toda a gente, é uma realidade a aceitar quanto mais rápido melhor. O PGR sacudiu as migalhas da dúvida nacional. E há outra realidade, também a perceber com urgência: tal como no velho exemplo do cinto de castidade, a esta hora mil almas estarão a inventar um abre-latas eficaz..
Sem imagem de perfil

De Henrik a 30.10.2007 às 21:49

Esta ideia de escutas «legais» e «ilegais» é todo um conjunto hermafrodita da parvoíce, e da sufocante falta de oxigénio que existe no nosso estado que ainda se agarra ás saias do avô Salazar.

Comentar post




Blog anterior

Aviz 2003>2005