Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por FJV, em 27.07.06
||| Posta restante.

O fim dos comentários, 1:
«Não percebo o porquê da sua decisão, e apesar de discordar consigo muitas vezes, acho que o direito ao contraditório é e será sempre um pilar fundamental da democracia. Energúmenos sempre houve e haverá, mal educados idem aspas. Mas acredito que para combater a estupidez a melhor forma não é a mordaça. é sim o confronto intelectual.» [Luís Sebastião]
«Consigo entender a sua irritação com o lixo que lhe cai na caixa de comentários. Comentei uma mão quase cheia de vezes no seu blog, e julgo (ou espero) nunca lá ter deixado lixo. Sei que deixei alguma inanidade. No entanto, e para tentar dar alguma importância ao lixo, tento fazer notar que na ouverture de A Origem das Espécies, você cita Darwin para frisar que quer "consider the value of the differences between the so-called races of man". Sinceramente, o lixo é tão fundamental para este propósito como qualquer centelha de razão, lucidez ou inspiração.
Ainda acerca disto, gostaria de dizer que considero a caixa de comentários de qualquer blog como um espaço onde o comentador tem o dever de ser minimamente pertinente acerca do post específico que está a comentar, mas também o direito de fazer publicidade ao seu próprio espaço. Acho a atitude "deixas-me dizer ao mundo que existo?" legítima por parte do blogger comentador e acho ainda a atitude "vá lá, diz lá ao mundo que existes" um sinal de extrema generosidade por parte do blogger comentado. Já deixei comentários em alguns posts (alguns seus também) com este duplo propósito. Espero um dia poder retribuir o favor, ajudando alguém a erguer-se acima da linha de visibilidade. Lamento por isso o desaparecimento da sua caixa de comentários. Como porta de entrada e saída para e de
A Origem das Espécies, era tão bonita como a do Hopper no final do Aviz; mas há um mérito: um comentário deixa-se com alguma impunidade no que diz respeito à relativa leviandade e inanidade do seu conteúdo. um email redige-se e envia-se com alguma reflexão. Suponho (ou espero) que lhe seja mais compensadora a leitura da correspondência do que a leitura dos comentários.» [C.O.]
«“Não tem a ver com a publicação de opiniões contrárias, no espaço do blog destinado aos comentários -- nunca houve censura.” Já alguma vez ouviu um bêbado, no meio de uma discussão, assumir que estava bêbado? Já ouviu algum «tolinho», no meio de uma discussão, assumir que era «tolinho»? Por acaso os ditadores confessam-se como tal, ou os terroristas assumem que praticam actos terroristas? Já alguma vez ouviu um fanático assumir-se como tal? Um lunático? Um psicopata? Tem toda a liberdade de acabar com os comentários no seu blogue mas as justificações dessa natureza, dispensam-se... [Armando B.]

«Concordo com a ausência dos comentários, mas não se estará a perder uma das "raras" virtudes dos blogues: a interactividade entre autor e leitor? Bem, pelo menos existe este endereço que pode ser activo e restaurar a dita. Quanto aos "insultos e asneiras despropositadas" é infelizmente uma questão cultural que ainda não conseguimos ultrapassar.» [Carlos Arinto]

«Lamento mas compreendo o encerramento da caixa de comentários do A Origem das Espécies. Lamento, porque a intolerância é sempre lamentável. Compreendo, porque até a mais tolerante das pessoas pode ser "obrigada" à intolerância.» [José Moreno]
Sobre We Authors:
«Entendi este post como uma manifestação de estupefacção e um protesto contra um ligeiro escândalo, mas reparei que teve o cuidado de não o dizer de forma explícita. no entando, e partindo do princípio que a minha percepção do post está correcta, deixe-me dizer-lhe que como escândalo, não é inédito. a literatura tem beneficiado de um considerável grau de protecção por parte da recensão crítica jornalística (jornais e blogosfera) e televisiva sem paralelo noutras formas de criação. na música séria (ou clássica, ou escrita, ou como quiser chamar-lhe), há anos que (nós, compositores) vemos obras e compositores fenomenais serem olimpicamente ignoradas/os, enquanto agentes do entretenimento (vulgo músicos pop) são glorificados em horário nobre. Há anos que vemos Ligetis, Xenakis e Berios a morrer sem glória mais que merecida para compositores daquele calibre e chicos buarques, ruis velosos e tonis carreiras (sim, sim, estão todos no mesmo saco por muito difícil que seja de ouvir) apelidados de compositores. portanto, que alguém chame "escritora" à senhora Paula Bobone ou a outros e outras que tais, para mim não é novidade.» [César O.]

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por FJV, em 27.07.06
||| Obrigado.
Os últimos dias foram ou são chatos. Sem paciência. Há bloggers que escrevem sobre isso tudo, que acontece, melhor do que eu escreveria. A Fernanda escreveu sobre a Gisberta e eu concordo.

A decisão do MP confirma a ideia da irresponsabilização de menores.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Blog anterior

Aviz 2003>2005


subscrever feeds