Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



...

por FJV, em 02.07.06
||| Portugal, Inglaterra,2.








Os participantes dos Encontros de Poesia de San Rafael, no Algarve, quando Postiga marca o penalty; Luís Sepúlveda, Clara Yañez e Manuel Valente depois de um penalty defendido por Ricardo; e logo depois de C. Ronaldo ter marcado o seu. José Luis Peixoto recusou-se a ver uma parte do jogo para não dar azar à selecção. Ana Luísa Amaral comentou cada lance. Jorge Palma refugiou-se no quarto. Manuel António Pina chegava já com o jogo ganho. Nuno Júdice aguardava o jogo da noite.

Autoria e outros dados (tags, etc)


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Francisco del Mundo a 04.07.2006 às 00:31

Carissimo hómonimo, cá estou eu de regresso... Tanto talento literario junto... E o meu mestre Sepulveda mesmo ai...
Abraço
Sem imagem de perfil

De rb a 03.07.2006 às 18:35

Caro JFV:
Fiquei algo satisfeito com a sua resposta, mas não totalmente, e reconheço que não leio o que escreve no JN. Sei apenas dalgumas das suas opiniões, por aqui e de vez em quando pela rádio.
E não totalmente porque se o meu caro diz que: "As minhas únicas reticências em relação a Scolari têm sobretudo a ver com a natureza da sua «guerrilha psicológica» e com o modo como define o seu trabalho de grupo (escolhendo inimigos onde às vezes não estão). Não fiz guerra por causa de Baía (nem no Euro nem agora) e apenas lamentei a não ida de Quaresma (mas disse que não seria decisivo, de maneira nenhuma)."
Isto parece-me claramente insuficiente para chegar à conclusão - também insultuosa - de que: "Scolari é futebolisticamente burro. Jumento e chato. Com a única vantagem de ser um jumento teimoso e gaúcho".
Futebolisticamente burro um treinador que pode ser campeão do mundo consecutivamente por duas selecções!! Que já detém o recorde de vitórias em mundiais!! Que tem feito uma campanha brilhante ao serviço da nossa selecção!! Por favor ...

E voltando ao "futebol lindo", também não me parece que se possa criticá-lo por aí, porque se é verdade que a nossa selecção não tem dado festivais de bola, joga um futebol atraente comparado com a generalidade, joga de pé para pé, fintas, jogadas e golos bonitas, e só não fez mais poruque o que está em jogo é demasiado importante para riscos em nome da estética. Veja-se com que "futebol lindo" jogou Brasil, por ex., para despachar o Gana por 3-0. E o que faz Muurinho na Inglaterra. "Futebol lindo" não é concerteza, é futebol EFICAZ e GANHADOR. O "futebol-arte" já não é deste tempo, infelizemnete para quem gosta de o ver, em que se jogavam com 5 avançados, e tudo atacava. Agora joga-se com 5 e 6 defesas e tudo defende.
Sem imagem de perfil

De Francisco J. V. a 03.07.2006 às 16:48

Meu caro Atento: repito o que disse atrás: Scolari ganha, mas é um chato. Fui adepto de Scolari no Grêmio, fui adepto de Scolari na selecção brasileira e fui defensor (dos primeiros) de Scolari na selecção portuguesa. Que me lembre, só eu escrevi (com essa antecedência) um artigo sobre Scolari em Portugal. Um texto que, aliás, comoveu Scolari na época. As minhas únicas reticências em relação a Scolari têm sobretudo a ver com a natureza da sua «guerrilha psicológica» e com o modo como define o seu trabalho de grupo (escolhendo inimigos onde às vezes não estão). Não fiz guerra por causa de Baía (nem no Euro nem agora) e apenas lamentei a não ida de Quaresma (mas disse que não seria decisivo, de maneira nenhuma). Dizer que padeço de «atavismo clubistico» nesta matéria parece-me um insulto. Sofro disso, sim, durante o campeonato, em que tenho um clube. Se ler o que tenho escrito, diariamente, no JN, talvez chegue a conclusões diferentes e não me misture no grupo dos que querem a derrota antecipada de Portugal.
Já sobre Ricardo, mantenho: não me referirei a ele senão em termos elogiosos depois dos penaltis.
Acerca do «futebol lindo», eu não gosto disso. Repito-lhe as palavras de Eduardo Bueno na abertura da saborosa bioografia do Grêmio (meu clube brasileiro, junto com o SP): «Futebol-arte é, como toda a gente sabe, coisa de veado.» Sem conotações cavernícolas. É isso que eu penso. Poranto, que Scolari ganhe, que Scolari seja campeão. Eu festejarei, como disse atrás e escrevi noutros posts. O que me desgosta é o ressentimento em qualquer dos sentidos. Que ganhe. Que chegue à final. Que possa festejar. Isso é fundamental.
Sem imagem de perfil

De rb a 03.07.2006 às 16:22

Meu caro JFV,
Ficou-lhe bem o acto de contricção em relação ao Ricardo! Mas também lhe assentaria bem fizesse o mesmo em relação ao Scolari. Mas não ... Permita-me a expressão: "Burros são aqueles que não mudam de opinião."
Devo dizer que sou um admirador da sua descontraída intelectualidade. Até temos em comum o (bom) gosto pela cultura brasileira. Mas esta sua posição anti-Scolari é incompreensível, sobretudo, nesta fase do campeonato. É que contra factos não há argumentos. Só a concebo pelo atavismo clubistico de que o meu caro JFV parece padecer, que lhe tolhe a racionalidade. E infelizmente não é o único ...
E não me venha com essa do futebol lindo, porque, com franqueza, quando o Porto foi campeão à custa do futebol prático, das vitórias pela margem mínima, certamente, ninguém o viu criticar dessa forma. Desminta-me se for o caso. Do futebol lindo e das vitórias morais não reza a história, ao passo, que todos nós vamos lembrar deste feito extraordinário que é já sermos, pelo menos, uma das 4 equipas melhores do mundo. O resto é conversa ... e teimosia.
Sem imagem de perfil

De joao a 03.07.2006 às 13:36

Sid was wrong -we ( not G*d) shaved the Queen
Sem imagem de perfil

De Celinho a 03.07.2006 às 02:30

No blog do Juca Kfouri, há alguns posts atrás, ele colocou um texto antigo do humorista Bussunda, sobre isso de jogar bonito e ganhar/perder. Concordo com ele e sei que concordo com vc. Mas eu prefiro meio Scolari do que 25 Parreiras,1/4 de campeonato de 2002 do que 40 taças de 94, enfim: Scolar é muito mais um gestor de emoçoes e de relaçoes humanas do que um exímio treinador, sendo que as duas caracteristicas incompletas fazem um seleccionador de sucesso. Já era assim no Gremio, foi assim o Palmeiras, no Brasil e agora em POrtugal. Boa sorte contra os franceses! =)
Sem imagem de perfil

De Francisco J. V. a 03.07.2006 às 00:04

Caro João Fernandes: contrariamente ao que pensa, mantenho tudo o que disse neste post (http://origemdasespecies.blogspot.com/2006/05/scolari.html).
Scolari ganha, mas é um chato. Ser gaúcho tem certas qualidades (bastantes, muitasd), mas não vale a pena explicar. Portanto, memso que seja campeão mundial, mantenho o post. Rendo-me às vitórias, sim senhor, e festejo-as, mas não é o meu futebol. Sobre isso, já escrevi o bastante, antes do Euro 2004, quando Scolari era muito mais criticado. Futebol não é questão de fé, para mim; vitórias podem ser, mas futebol é também gostar de ver jogar «de determinada maneira».
Sem imagem de perfil

De Carlos Malmoro a 02.07.2006 às 23:36

Dar-me-ia um gozo enorme ouvir as explicações que os departamentos de marketing, no momento em que Portugal atingiu as meias-finais, tiveram que dar às direcções de certas empresas, depois de terem inventado a rebuscada ideia do desconto proporcional à caminhada de Portugal.
Sem imagem de perfil

De joao fernandes a 02.07.2006 às 23:13

"Scolari é futebolisticamente burro. Jumento e chato. Com a única vantagem de ser um jumento teimoso e gaúcho"
Francisco José Viegas
origemdasesoecies.blogspot.com, 17-5-2006
Palavras para quê???É um português de memória curta...como tal, um Senhor, respeitado e credivel...????
Sem imagem de perfil

De M em Campanhã a 02.07.2006 às 22:10

identifico-me com JLPeixoto: fujo achando que é o melhor para todos

Comentar post


Pág. 1/2




Blog anterior

Aviz 2003>2005